DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DA PERDAS AUDITIVAS

Há a necessidade na Gestão do Agente Ruído da elaboração de um Programa de Conservação Auditiva - PCA corroborado com um programa de monitoramento anual quando presentes fontes de emissão de
nível de pressão sonora acima de 80 dB(A). O que também ocorre nos operadores de teleatendimento devido a exposição a níveis de pressão sonora durante os atendimento com head-set(s). Como exemplo de PCA integrado destacamos (clique aqui).

Um fato que deve ser observado pelas autoridades é a insistência de alguns profissionais na descaracterização do risco ao agente ruído onde este se encontra sobre controle, isto é, apresenta exposição para a jornada abaixo do limite de ação, embora ocorram níveis de pressão sonora elevados (NPSE) em determinados períodos ou momentos acima de 85 dB(A). Há várias exemplos de justificativas inúteis na tentativa de não realização de monitoramentos anuais, uma obrigação patronal que é exigida para garantir e provar que as medidas de controle estão sendo mantidas e que as avaliações quantitativas são reprodutivas. Veja métodos de medição.

Há exemplos em teleatendimento em que num ano as exposições estão abaixo dos limites normativos e no outro ano acima dos limites devido a troca de head-set(s) pela área de compras ou manutenção que sem um PCA não há a integração dos processos com a área técnica e de SMS da empresa. Temos exemplos de aumento do número de PA(s) no ambiente, da deterioração da acústica da sala, a aquisição de head-sets de baixa qualidade e os processos de manutenção, onde são contratadas empresas inadequadas que realizam "gambiarra" ou "canibalização de peças" para consertarem os equipamentos defeituosos. Veja as

O PCA também deve atender as técnicas e estratégias de medição. Vídeo estado da técnica de medição de ruído ambiental.

Destacamos, ainda, a questão da integração da a área de Engenharia de Segurança e da Medicina do Trabalho, uma questão importante e harmonizada no PCMSO elaborado a partir do PPRA pleno, isto é, completo com os necessários demonstrativos ambientais anuais reconhecidos, uma exigência do legislador (veja mais).

Neste contexto estamos com parceria com um do melhores profissionais da área que trata das questões das Perdas Auditivas, dando os devidos andamentos, considerações e tratamentos. com o Diagnósticos diferenciais

Necessário para atender as Perdas Auditivas

O Programa de Conservação Auditiva visa a prevenção da PAIR e a manutenção da saúde auditiva do trabalhador expostos a riscos que possam afetar a audição, a saber: níveis elevados de pressão sonora, produtos químicos, vibrações e outros levando em conta as possibilidades de interações entre estes agentes.

Além do monitoramento das exposições  a esses agentes  faz-se necessário o Gerenciamento Audiométrico  conforme as diretrizes da Portaria nº 19 de 09 de Abril de 1998 do Ministério do Trabalho.

Na avaliação dos resultados dos exames audiométricos, individual e setorialmente, na comparação dos exames sequenciais, admissionais e periódicos, uma vez identificado  audiometrias alteradas, sugestivas de desencadeamento  ou  agravamento  de perda auditiva ocupacional ou na suspeita de uma orelha de risco, é necessário o diagnóstico diferencial.

Esses  funcionários devem ser encaminhados para o médico otorrinolaringologista para  investigação da perda auditiva detectada.

          SERVIÇOS MÉDICOS OTORRINOLARINGOLÓGICO:

          CONSULTA  MÉDICA

          AUDIOMETRIA TONAL

          AUDIOMETRIA VOCAL

          IMITANCIOMETRIA

          ANÁLISE  COMPARATIVA DAS AUDIOMETRIAS ANTERIORES

          ANÁLISE DO PRONTUàRIO MÉDICO OCUPACIONAL

          RELATÓRIO MÉDICO OTORRINOLARINGOLÓGICO

O funcionário é  atendido no consultório pelo médico otorrinolaringologista e realiza a avaliação audiológica com repouso auditivo de 14 horas em sala acusticamente tratada e em caso seja necessário será realizado outros exames complementares para a elucidação do diagnóstico.

Dra. Mara   Edwirges  Rocha  Gândara

Clínica de Ouvido, Nariz e Garganta

MEDICA ASSISTENTE DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FMUSP

CRM  42461

Tel.:3062-8121 – São Paulo - SP

Engo M.Sc Rogério Dias Regazzi (021 - 99999-6852 e 021 3549-4863)

Destaque sobre a necessidade de qualidade metrológica dos equipamentos de medição (aqui).

 
"Não podemos mudar o mundo, mas podemos mudar o mundo de alguns que estão perto da gente através da prática do conhecimento convencendo mentes e corações" de RDR  
  Site Map